Bater Perna no Rio

IMG_7391

O dia começou cedo, cheio de sol e o calor a fazer-se sentir. A intenção era ir conhecer o Centro do Rio, desde a Lapa a Santa Teresa, passando pelo coração da cidade, no centro comercial, financeiro e de serviços. Como estava hospedada mesmo ali foi fácil. Era sair e seguir.

Desci curiosa a Rua Riachuelo, onde fica o meu hotel, o Vila Galé Rio, e logo a criatividade me invadiu mostrando-me o caminho … eu sonhava em ser livre para voar … e o meu sonho era já uma realidade. Nas ruas do Rio de Janeiro, os sonhos são cariocas e estão escritos na parede, para todos os dias nos lembrar-mos deles.

IMG_7395 (1)IMG_7396 (1)IMG_7398

Em menos de quinhentos metros estava no Aqueduto Carioca, o famoso Largo dos Arcos da Lapa. São enormes. São mesmo brancos. E são lindos. O Largo é gigante e encaminha-nos para Santa Teresa à direita, onde encontramos as míticas Escadas Sélaron. Em frente, seguimos para a Praça do Passeio Público, um jardim entre a Lapa e a Cinelândia, e é o primeiro parque ajardinado do Brasil. À esquerda a Cinelândia. E atrás a Catedral Metropolitana de São Sebastião, o padroeiro da cidade. Sim, o dia seria passado a calcorrear. Iria bater perna pelo Rio de Janeiro.

IMG_7405

Bem ali, junto aos Arcos da Lapa, comecei a identificar tudo aquilo que eu conhecia desde sempre, sem nunca lá ter estado, encontrei a mítica casa de shows Circo Voador onde os meus artistas preferidos, de Cazuza a Caetano, tantas vezes se apresentaram e tantas vezes os revisitei, com nostalgia e saudade do que nunca vi, ali no genial you tube.

IMG_7409 (1)

E, logo a seguir, do lado esquerdo, ali mesmo ao lado na Rua dos Arcos da Lapa, a Fundição Progresso, um casarão lindo recuperado e uma casa de espectáculos impar, onde também rolaram os melhores shows e onde funciona um Centro Cultural.

ARCOS DA LAPA

IMG_7411 (1)

IMG_7420 (1)IMG_7421 (1)

A caminho da Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro não esperava, dada a leveza do dia, um encontro, um momento tão emocionante como o que tive. Entrei e, em passo lento, dirigi-me ao altar, estavam poucos fieis e a hora era de reflexão. Sentei-me, com as mãos sobre os joelhos, no longo banco de madeira que ali me esperava. Começaram a rolar pelo meu rosto. Não consegui conter as lágrimas. Deixei-me ficar a receber toda a graça, toda a luz, a paz, que me estava a ser concedida. E apenas agradecia.

IMG_7439 (1)IMG_7441IMG_7448

A beleza desta catedral dura, de pedra, gigante, de linhas retas e sóbrias, está evidente nos jogos de luz filtrada pelos milhares de vitrais coloridos, rasgados nas paredes desde o chão até a cúpula. A luz entrava anunciando o divino. E sentia-se.

IMG_7451

IMG_7418 (1)

Mesmo ao lado da Catedral passando a Avenida do Chile,  estava em pleno Centro financeiro da Cidade Maravilhosa, vi-a prédios magníficos como o da Petrobras com um jardim suspenso nas aberturas laterais. Mas, além da arquitectura moderna, convivia lado a lado os edifícios centenários de um antigamente ainda muito presente.

IMG_7459IMG_7467

Uma visita à Rua do Lavradio era obrigatória, actualmente o encontro certo entre bares, como o famoso Rio Scenarium, e restaurantes, mas também várias sedes culturais, aqui fica o famoso bloco de carnaval Cordão da Bola Preta.

Aqui celebra-se, no primeiro sábado de cada mês, a Feira do Lavradio Rio Antigo, uma mistura das feiras da ladra e vandôma, tão tradicionais em Portugal. Mas também aqui se dá a maior concentração dos muitos e dos melhores antiquários da cidade.

IMG_7470IMG_7471 (1)

Na esquina com a Rua da Relação, fica a Sociedade Brasileira de Belas Artes. Não tenho registo mas vale a pena a visita!

IMG_7499 (1)IMG_7497 (1)IMG_7496

Depois fui caminhando e encontrando pérolas dos nomes conhecidos de sempre do Samba, como Noel Rosa ou Pixinguinha. Eram os locais que haviam frequentado noutros tempos. O que ao longo da minha viagem será uma constante. O encontro com referências de toda uma vida, a minha.

IMG_7494IMG_7485 (1)

Na Rua 1º de Março, visitei a Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo, que data do século XVIII, onde mais uma vez fiquei surpreendida com o excesso do estilo barroco, tão semelhante às nossas construções em Portugal, mas em território colonial.

IMG_7478

Na Praça Tira-dentes, D. Pedro I, agraciado pelos Brasileiros, é ladeado pelos quatro grandes rios Amazonas, Paraná, São Francisco e Madeira e com as grandes datas relacionadas à vida do monarca no Rio de Janeiro, desde o nascimento, ao casamento, à rebelião contra Portugal, a Aclamação e o Juramento da Constituição.

IMG_7500IMG_7511

IMG_7508

IMG_7505

IMG_7513

IMG_7514

Na Cinelândia, procurava o Teatro Municipal e ele estava mesmo atrás de mim. É magnifico e riquíssimo, no entanto, sem ostentação. Acho que a sua beleza está no equilíbrio do excesso. Não visitei o interior mas aguardo assistir um ballet ou uma peça de teatro um dia destes.

Já se fazia tarde. A barriga dava horas. Parei para almoçar no Bar Amarelinho, local bem carioca, com comida boa, simples e barata. Frequentado tanto por locais como por turistas. Preços bem equilibrados. Serviram-nos chop gelado e frango na caçarola , um tipo de estofado, com batata frita caseira.

IMG_7482

Eram umas três da tarde e era possível tirar uma fotografia a uma fachada linda sem a confusão de uma metrópole. O Rio tem seis milhões e meio de habitantes mas eu nunca senti o peso desse número. Não sei onde estão. Mas a minha sensação era de tranquilidade!

IMG_7527

Estava cansada de bater perna! O Bondinho de Santa Teresa estava mesmo ali ao lado. É gratuito e tem uma vista privilegiada sobre o Centro, pois passa no cimo dos Arcos da Lapa.

IMG_7542

O percurso não é o original e, por isso, é muito curto. Mas é a opção mais bonita e interessante para chegar aos altos de Santa Teresa, antigo e boémio bairro, agora muito ligado a artistas e estrangeiros radicados no Rio. Dizem que é a Montmartre Carioca.
BONDINHO DE SANTA TERESA

Chegar ao Largo do Guimarães de bondinho é a melhor forma de entrar no espirito do bairro! Há vários idosos nos bancos de rua conversando, olhando. As ruas íngremes e estreitas são calçadas por paralelipípedos que não convidam a grandes passeios. Mas eu sigo. Porta sim, porta sim há uma galeria de arte, um bar, um restaurante, um hostel, um associação cultural. Respira-se arte. Respira-se mudança no ar.

IMG_7540

Era hora de sossegar. O dia chegava ao fim com um banho refrescante na piscina, sob as estrelas dum céu negro. Toda por minha conta. E eu entreguei-me ao relaxe! Caipirinhas de limão e lima, sessenta peças de sushi e sashimi fresquissimos, entregues no hotel, foram o jantar. Este foi um dia delicioso e inesquecivel!

IMG_5195

mh

3 thoughts on “Bater Perna no Rio

Gostou? Que bom! Deixe um comentário. Até breve!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s